domingo, 15 de janeiro de 2012

Somos lixo

Em Julho, quando a Moody’s nos despromoveu a lixo, ia caindo o Carmo e a Trindade. Até Cavaco Silva se indignou, contrariando a sua anterior tese de que não servia de nada protestarmos contra as agências de rating. Entretanto, a Fitch atirou-nos também para a lixeira. Faltava a sentença da Standard and Poors. Chegou na sexta-feira 13, e desta vez nem a França escapou, perdendo um A. Ouvem-se aqui e acolá alguns gemidos de indignação mas isto na realidade já não provoca tumultos na alma a ninguém. Interiorizámos finalmente que somos lixo.

Há, claro, uma teoria da conspiração para o que se está a passar. Ao que consta, existem razões políticas por detrás desta despromoção “sistémica” e uma guerra entre o dólar e o euro. Infelizmente, não nos são fornecidos muitos detalhes sobre o assunto. Presumo, no entanto, que haverá uma mão de Obama nesta tramóia. Curiosamente, os partidários destas “teorias” também nunca explicam bem o que é que os EUA ganhariam com a desintegração do euro e a consequente hecatombe da União Europeia. Sim, repito, que vantagens económicas teriam os EUA com uma Europa de rastos? Não se percebe.

Ou melhor, até se percebe. É mais reconfortante acreditar que foram os americanos que malevolamente nos atiraram para o caixote do lixo do que admitir que fomos lá parar por culpa nossa.

3 comentários:

  1. o home os amarikanos querem atirar a eurrops16 de janeiro de 2012 às 21:35

    nã têm nada contra si ...

    precisam é de encher o caixote pra ficarem ódecima quisto de ter um pé no lixe num dá crédite anenhum muite menes suisse

    ResponderEliminar
  2. são geralmente due di due...

    ResponderEliminar

Não são permitidos comentários anónimos.