quarta-feira, 6 de janeiro de 2021

Version 2.247

Saiu o relatório de 2021 do Banco Mundial acerca das perspectivas de crescimento. Que grande falhanço da União Europeia, com uma quebra esperada de 7,3% para a Zona Euro em 2020 e 3.6% e 4% em 2021-2022, respectivamente. Estes resultados, a par com o número de casos e mortes na Europa devido à pandemia, são uma completa aberração, que desafia todos os princípios básicos da Europa Social.

Os europeus pagam muito mais em impostos para estarem mais protegidos em situações de doença e de desemprego, ou seja, exactamente para se protegerem dos efeitos que esta pandemia gerou. Sendo assim, não faz sentido que a Europa se tenha saído tão mal e apenas demonstra que as autoridades da União Europeia não estavam à altura do desafio. É óbvio que mais podia e pode ser feito.

Portugal costuma estar na cauda da Europa, logo é natural que tenha resultados abaixo da média. É difícil de acreditar que, caso estas previsões se concretizem, não haja um êxodo em massa de portugueses para o estrangeiro. Os países com pior desempenho desaceleram ainda mais; os países com melhor desempenho recuperam mais depressa: esta é a implicação de se fazer parte de um bloco económico com livre circulação de pessoas.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.