terça-feira, 17 de julho de 2018

Linguagem corporal

Como eu vivo nos EUA há tanto tempo, acho natural que os americanos sorriam por tudo e por nada: it's the American way. Até há artigos na imprensa acerca do porquê demos americanos sorrirem tão frequentemente. A explicação tem a ver com os EUA serem um país de emigrantes em que, como muita gente não falava a mesma língua, o uso de comunicação não-verbal foi exacerbado para ultrapassar as barreiras da língua e criar maior confiança entre as pessoas. Já pessoas de países com maior homogeneidade da população não tendem a sorrir tanto.

Hoje algo muito estranho aconteceu: houve um encontro entre Donald Trump e Vladimir Putin e quando os dois apareceram juntos para a conferência de imprensa, Putin sorria e Trump estava macambúzio. Na rádio falava-se da linguagem corporal do Presidente Trump, que dava uma má impressão dos EUA e denotava-se este evento como um dos pontos mais baixos da Presidência americana.

E para além da linguagem corporal, há o que Trump disse, que nesta altura do campeonato já nem nos devia surpreender, mas ele teve a desfaçatez de dizer mal dos serviços secretos americanos -- querem diria que chegaríamos a este ponto com um Presidente republicano? A coisa correu tão mal, que já acusam Trump de traição, como é o caso de John Brennan, antigo Director da CIA quando Obama era Presidente:

Sem comentários:

Enviar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.