sexta-feira, 27 de setembro de 2019

Coisa curiosa


Passei os últimos três dias a estudar os dados de produção agrícola e comércio internacional do Usbequistão. Não foi o mercado todo, mas lá andei pela Internet à caça de informação. Andei tão concentrada que um colega meu tocou na minha cadeira e dei um salto. Os meus colegas gozam muito comigo porque, apesar de estarmos num espaço comum, quando estou a trabalhar é difícil ligar ao que se passa em meu redor e quando me chamam não ouço.

Já sabia que não havia informação no Global Trade Atlas, nem no Comtrade das Nações Unidas. Não encontrei nada no Panjiva, um serviço da S&P; os dados da USDA não me pareciam estar todos correctos, mas li o relatório do adido americano na região; fui ao Eurostat; passei a pente fino o Comité de Estatísticas do Usbequistão--visitei a página em inglês e a página em russo, que traduzi com o Google, para ver se havia diferenças--, consultei jornais online do Azerbaijão e do Usbequistão.

Durante a minha caça aos números, fui parar a um jornal usbeque onde a nuvem de etiquetas dizia "Ronaldo in Uzbekistan". Que coisa tão curiosa, pensei. Segui o link, que me levou a uma notícia sobre uma visita do Cristiano Ronaldo ao Usbequistao em 2009, em que um dos eventos foi dar uma aula de futebol à juventude. Era uma das histórias mais lidas no jornal, pois aparecia na nuvem de etiquetas, e nela o Ronaldo é citado como tendo dito o seguinte: "The purpose of such classes is to prove that every footballer must believe that he can become the best and work toward this goal".

O Usbequistão é um país com uma enorme incidência de trabalho infantil forçado na agricultura, mas talvez alguém tenha escapado por jogar bem futebol.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.