sexta-feira, 16 de abril de 2021

Version 3.346

Hoje recebi um SMS da DHL a avisar que os meus livros, que comprei num alfarrabista no Porto há dois dias, tinham sido recebidos e, em princípio, serão entregues até Terça-feira em minha casa. É menos uma coisa com que me preocupar. 

Amanhã vou jantar fora e vou tirar a tarde de folga para relaxar um bocado. Até ao final de Maio, tenho 17 dias úteis de folga para tirar, mas acho que vou transferir cinco para o próximo ano fiscal, o que me dará um total de 37. Os restantes 12 tenho de tentar gastar até lá. 

Este fim-de-semana, vou tentar marcar a segunda dose da vacina para Quarta-feira e até nem seria má ideia tirar o resto da semana de folga, caso haja efeitos secundários. O meu Sábado já está bastante preenchido, pois de manhã  vou levar o carro à mudança de óleo e na tarde estava a pensar ir ao Museu Brooks porque há uma instalação nova no jardim e vão haver um recital de ópera nessa instalação. 

Parece-me que as coisas estão a normalizar bastante. Quando estamos em recintos fechados, todos usamos máscara, mas já estamos tão habituados que não sentimos aquele pânico de antes. Ainda bem...

quinta-feira, 15 de abril de 2021

Version 3.345

Morreu o Bernie Madoff aos 82 anos, na prisão. Espero que esteja a ser bem tostado no inferno dos trafulhas, este canalha cujo filho se suicidou após descobrir o que o pai tinha feito. O único mérito de Madoff é o de ter tido filhos com consciência. 

O conceito de consciência é completamente alheio aos portugueses, só assim se explica a forma como se branqueia e normaliza coisas mirabolantes, como o caso de José Sócrates. Como é que José Sócrates foi convidado para uma entrevista na TVI, como se se tratasse de um grande senhor, dado o que o Juiz Ivo Rosa concluiu na Sexta-feira? E não é só a TVI, porque a Almedina vai publicar um livro de José Sócrates, depois de tudo o que sabemos das práticas de autoria do homem.

Finalmente, para adoçar a pílula, a mãe do actual Primeiro Ministro achou por bem escrever uma peça, no Público, a questionar o porquê do ódio a José Sócrates. Então ela não estava presente quando o país foi à falência e os portugueses passaram dificuldades? Não se compreende que venha para a Praça Pública defender Sócrates, a não ser que este saiba alguma coisa que comprometa os filhos. É que, depois disto, os manos Costa são, com toda a certeza, filhos da mãe.

 

quarta-feira, 14 de abril de 2021

Version 3.344

Comprei hoje uns livritos portugueses usados na minha alfarrabista, que tem uma loja no Porto e o serviço de atendimento ao cliente é impecável. Como estou farta dos atrasos do correio, pedi que me fosse enviado por DHL ou FedEx--vai ser DHL a um custo de 88 euros. Menos mal, dado que são sete livros e custavam 155 euros. O DHL requer que o pacote tenha uma factura a acompanhar e para haver factura, tenho de dar um NIF à loja. Fiquei um bocado confusa, pois pensei que o NIF necessário fosse o meu número americano, mas é mesmo o português. 

Depois fiquei a pensar, como é que fazem para vender coisas aos estrangeiros que não têm NIF português? Recordei-me de uma vez que tentei comprar um livro numa loja online brasileira e não consegui porque não tenho um NIF brasileiro. Mas o mais intrigante é que, para pequenas transacções comerciais, haja tantas regras e fiscalização, mas depois para o dinheiro "conseguido" pelo José Sócrates e os milhões que desapareceram no BES é tudo facilidades, prescrições, etc.

Aguardo ansiosamente o dia em que o cântaro vá à fonte e lá fique a asa. 

terça-feira, 13 de abril de 2021

Version 3.343

Acordei refrescada ainda antes das seis da manhã, mas demorei a levantar-me só porque soube bem apreciar a chegada da claridade. Ontem, a esta hora, estava completamente exausta e não sei até que ponto tal se deveu a todas as minhas actividades ou talvez se devesse a não estar habituada a ter um dia tão preenchido do ponto de vista social. O meu telefone diz que andei quase 10 mil passos, o que é muito pouco. Recordo-me de dias passados em Londres e Nova Iorque, em que andei à volta de 30 mil passos cada e não fiquei tão cansada. Claro que tive tantas ou mais actividades do que ontem. 

Passar Abril em Memphis é absolutamente mágico. Há zonas da cidade em que parece que nos movimentamos num conto de fadas. O verde das folhas que rebentam é vibrante, mas a canópia tem uma aparência diáfana que permite que as cores tenham mais impacto. Até as sombras das folhas projectadas no chão parecem renda. É mesmo qualquer coisa de outro mundo.

Por isso aprecio tanto questões de planeamento urbano e a atenção que se presta a toda a flora que partilha as cidades connosco. Não percebo muito bem como é que, hoje em dia, ainda há tantos governos locais que continuam a não considerar esses aspectos na qualidade de vida dos residentes, especialmente nos bairros mais pobres, onde decerto teriam um enorme impacto para melhor. 

Algumas fotos de ontem do Jardim Botânico de Memphis:


segunda-feira, 12 de abril de 2021

Version 3.342

Pouco passa das 21h e estou quase a adormecer. Tive um dia agradável, mas muito cansativo, dado que um amigo meu estava de visita e eu fiz de guia turístico. De manhã fomos à livraria Novel, da qual gosto muito, e ao Jardim Botânico, que estava muito bonito, cheio de flores e folhas novas. Depois passámos pela zona de Cooper-Young, onde fica a Burke's Books, uma das mais antigas dos EUA e aproveitámos para almoçar no Celtic Crossing, um pub irlandês com um óptimo pátio.

 Como o Julian tinha ficado no hotel de cães durante o dia, tivemos de o ir buscar por volta das 4:30 para nos reunirnos um pouco mais tarde com os meus vizinhos para celebrar um aniversário. Estava tudo operacional e de tarde notava-se muito trânsito. Nos restaurantes, temos de usar máscara para entrarmos e nos sentarmos, mas funciona quase tudo.

domingo, 11 de abril de 2021

Version 3.341

 Passei quase todo o dia a jardinar e a pensar no imbróglio português. A governação de Portugal é imoral dada a forma como lidam com a corrupção. Quem rouba é protegido e quem trabalha e contribui para o bem-estar comum é perseguido e insultado. Isto não é uma receita para um país saudável que possa crescer e garantir os direitos dos seus cidadão. Não pensem que as coisas vão ser mais fáceis depois da pandemia terminar. Irá ser bem mais difícil, dado que a Europa teve outro tombo e está cada vez mais pobre--note-se que já estava. 

Antes de 2008, a UE tinha quase 25% do PIB mundial; antes da pandemia, só representava uns 16%. Dado que teve uma quebra maior, ainda está a lidar com confinamentos, e está atrasada nas vacinas, Portugal não poderá contar com receitas de exportação durante mais tempo. E as bazucas não são bazucas, logo isto só vai ser pior.

sábado, 10 de abril de 2021

Version 3.340

Que Sexta-feira tão emocionante! Nunca vi tanta gente tão fodida e tão frustrada. Foi a falta de orgasmo, mas olhem que o Sócrates já começou a dar à língua, logo está para breve. 

Não sei como é que se pode sequer fingir que Portugal é um estado de direito. Como é que, depois de tanto dinheiro gasto em investigação, dinheiro que podia ter tido outros usos, se chega aqui e se diz que prescreveram um monte de coisas? O prazo de prescrição está inscrito na lei, logo não há razão nenhuma para se deixar prescrever potenciais crimes quando a suspeita ocorre com amplo tempo para os investigar e levar os processos a término. 

E se é assim tão difícil fazer julgamentos de mega-processos, então tornem o prazo de prescrição mais largo para que as coisas possam ser completadas com um julgamento a sério. Ou façam como os americanos: vão atrás do crime mais fácil de julgar. A pessoa até pode ser ilibada, mas ao menos houve "due process".

É impossível que o país aguente esta sucessão de falhanços indefinidamente. Isto dura até à próxima crise e ninguém garante que seja pacífica. 


sexta-feira, 9 de abril de 2021

Version 3.339

Sinto que os americanos se estão a distanciar do Presidente Trump. Mesmo os que votaram nele, já não o defendem tão veemente. Também foi assim com Bush II, só que nesse caso foi muito mais rápido dado o crash das hipotecas subprime. Ou seja, a pouco e pouco, o GOP vai-se livrando do fantasma do Trump, só que não é muito claro o que é que vai ocupar o vácuo. Entretanto, a administração Biden continua muitas das políticas da administração anterior, mas sem tweets e insultos. Tudo muito politicamente correcto e nem se nota o que fazem.

Hoje recebi notícias tristes, pois a mãe de uma das senhoras que cá vem limpar a casa faleceu; estava nas Honduras. Tinha uma deficiência nas válvulas do coração e estava à espera que lhe fizessem uma operação quando foi diagnosticada com Covid-19. Estava viva há menos de duas semanas e, de repente, foi-se. As Honduras é um daquele país ao qual ninguém liga, mas onde as pessoas sofrem horrores. Há cerca de 10 anos, um dos meus ex-alunos americanos foi fazer o Peace Corps lá e teve de ser evacuado porque a violência era tanta, que não era seguro. Fico bastante triste quando penso nestas pessoas que vivem em países tão duros. Bem sei que não é o único.  

quinta-feira, 8 de abril de 2021

Version 3.338

Estamos no primeiro dia de tempestades que irão durar até Sábado. Penso que este ano temos tido muito mais actividade meteorológica do que o normal, mas é difícil lembrar-me do que é normal quando quase ou nada tenho saído de casa. As vacinas continuam aceleradamente em todo o lado. Falei com um colega de Minneapolis que me disse que ele e a esposa vão finalmente ser vacinados brevemente.   

À semelhança do Whole Foods, o Trader Joe's também já vende pasteis de nata. Quem gozou com o Álvaro por causa da sua sugestão devia engolir umas caixas de cartão para ver se aprende a estar calados. Era bom, era...

quarta-feira, 7 de abril de 2021

Version 3.337

Comprei uma camisola de linho e algodão, muito à moda do que se veste pelos lados de Nova Inglaterra. As camisolas são como os chapéus--ele há muitos. Tem âncoras, barcos à vela, conchinhas, e custou $128, quer dizer, depois dos portes e dos impostos ficou em quase $150. E é fabricada na China. Não pica e é muito confortável, ao contrário da camisola poveira de Portugal. Até me serve lindamente. Agora tenho de arranjar maneira de ir passar uns dias a uma praia onde faça frio para a poder usar. 

Esteve um dia de verão, praticamente. Não dá para perceber como aqueceu tão depressa, mas cá estamos nós. No trabalho, vamos ter uma semana muito interessante e cheia de emoções fortes, pois há muita informação que sai esta semana.  Felizmente, o Ministério Público em Portugal não tem empregados que sofram destas maleitas, dado que pode-se sempre arquivar o processo e começar do nada. 


terça-feira, 6 de abril de 2021

Version 3.336

Os EUA estão a vacinar mais de 3 milhões de pessoas por dia e um terço da população já recebeu pelos menos uma dose de vacinas, com 62,4 milhões completamente vacinadas. Hoje recebi uma mensagem da minha farmácia a dizer que já têm vacinas disponíveis e a custo zero para quem está autorizado a levá-las. É incrível a velocidade com que as coisas estão a evoluir, pelo menos nesta zona do país. Há alguns sítios mais populosos em que há mais dificuldade em encontrar uma vacina.

Memphis sempre tentou ser bastante cuidadosa com a gestão da pandemia, dada a existência do Hospital St. Jude, que trata crianças com cancro. Apesar de termos tido bastantes casos, a situação nunca esteve completamente descontrolada. No entanto, nas pequenas cidades em redor, as pessoas não são tão cuidadosas e nem sequer usam máscaras quando vão às compras. Mas há a vantagem de estes serem sítios relativamente pequenos, com baixa densidade populacional, em que as pessoas interagem muito pouco umas com as outras e, quando o fazem, é com bastante espaço entre si. Mesmo assim, todo o cuidado é pouco.

No trabalho, como temos uma equipa internacional, evitamos falar de vacinas em reuniões, dado que há colegas que vivem em países onde não há acesso e também quem tenha tido familiares que faleceram. Mas nota-se que há uma dinâmica mais optimista. O facto é que quanto mais depressa os EUA terminarem as vacinas, mais depressa haverá vacinas para os outros países. Claro que em no final do Outono devem começar a vacinar outra vez os americanos, ou seja, o resto do mundo tem meros meses para meter a casa em ordem.

É uma falha enorme que Portugal esteja tão desnorteado. Apesar das notícias em contrário, Portugal devia estar muito mais avançado no processo de vacinas por várias razões. Há um serviço central de saúde que é usado por quase toda a gente, logo devia ser bastante fácil planear e coordenar o processo. A população está bastante envelhecida, logo não é tão móvel como uma população activa. O país é relativamente pequeno e há um governo central que tem boa mão em tudo. E depois é necessário ter o país todo vacinado o mais depressa possível, dado que o turismo é uma actividade muito importante, logo é necessário dar credibilidade à gestão da pandemia e inspirar segurança nos futuros turistas. Daqui a nada os americanos estarão prontos para ir gastar as poupanças no estrangeiro: os países que tiverem maiores taxas de vacinação irão ser os que beneficiam mais cedo.

segunda-feira, 5 de abril de 2021

Version 3.335

Passámos um óptimo dia de Páscoa. Esqueci-me de fazer compras ontem e acabei por encomendar a mercearia hoje de manhã. Bem sei que é feriado e que as pessoas merecem descansar, mas a Páscoa nos EUA é um feriado engraçado para as crianças. Há adultos que festejam, mas não é muito importante. Para além disso, não forço ninguém a trabalhar; apenas lhes dou a opção. Dei uma gorjeta de $30 ao senhor que me fez as compras e mas veio entregar. Se calhar devia ter pagado mais, mas a minha encomenda era só de $100, logo foi 30%.

A urgência em fazer as compras hoje era que precisava de óleo de coco para fazer um bolo para o almoço. Fiz o bolo de amêndoa e laranja da Mafalda Pinto Leite, que não tem cereais, nem lacticínios, nem açúcar, logo dá para eu comer. Ficou excelente, um bolo húmido, nutritivo, e que sabe a comida a sério. O almoço foi em casa dos meus vizinhos que, super-simpáticos, prepararam um menu que a Rita podia comer. É um bocado estranho não poder comer tantas coisas, mas sinto-me bastante melhor fisicamente. E não preciso de tomar nenhuns medicamentos, o que é uma raridade na minha idade, segundo disse o meu alergista.

Falando do bolo, toda a gente adorou e até repetiram. A receita é do livro "As Receitas da Mafalda", que encomendei online há coisa de dois meses. Aproveitei e também comprei dois pacotes de esfoliante de café para o banho da Mafalda Pinto LEite, um para mim e outro para a minha vizinha. No total a encomenda foram 53 euros e paguei uns 54 euros de portes de correio. Bem sei que é muito caro, mas não se preocupem comigo que eu ganho bem. Após um ano de pandemia, era importante que os correios funcionassem impecavelmente. Aliás, 54 euros e o pacote demora 5 semanas a chegar é excessivo. No entanto, não quero ser demasiado pessimista, dado que até chegou. Os produtos eram bons. A minha vizinha gostou muito do esfoliante e ficou muito admirada que a pele ficasse tão elástica. 

Para os anos dela, encomendei umas ferramentas de jardinagem de Inglaterra, a uma companhia inglesa que vende ferramentas japonesas, a Niwaki. Como gastei $111, os portes são grátis (a partir de $100 não se paga portes) e a encomenda vem de DHL. Deve chegar em menos de uma semana. Ainda não ouvi notícias do governo japonês processar a Niwaki por vender produtos japoneses, dado que a companhia é inglesa -- em Portugal isso seria roubo.  


domingo, 4 de abril de 2021

Version 3.334

Hoje fez 39 anos que a minha avó materna faleceu. Parece que foi há tão pouco tempo e, no entanto, 39 anos é uma vida. Lembro-me bem desse tempo, apesar de só ter 9 anos. A minha avó foi viver para casa do meu tio 8 meses antes de morrer. Quando saiu da nossa casa, ainda andava bem, mas notava-se que a memória estava a falhar. Uma vez, eu e ela fomos numa excursão para a qual ela preparou merenda. Quando chegou a altura de montar a salada de alface, em vez de sal, a minha avó tinha levado açúcar. Foi cómico, mas era também sinal que o fim se aproximava. Nos últimos meses a minha avó deixou de poder andar e ficou de cama. Fui a casa do meu tio vê-la algumas vezes e queria levá-la para nossa casa outra vez, mas tive medo de pedir ao meu pai para a trazer connosco. 

Quando se tem 9 anos, os adultos não nos explicam muitas coisas, mas eu ouvia os meus pais falarem da minha avó não estar bem. À noite antes de dormir, rezava para que a minha avó melhorasse e regressasse. Só que como não sabia o Pai nosso, nem a Avé Maria completa, só podia rezar a parte da Avé Maria que conhecia: Santa Maria mãe de Deus... E contava pelos dedos quantas vezes rezava, dez e vinte vezes, sempre até adormecer. Havia dias em que a minha avó melhorava e eu pensava que era da minha devoção e rezava com mais fervor na noite seguinte. Mas não funcionou. Nunca funciona, morremos todos, mais cedo ou mais tarde. Não há rezas que nos valham.

Depois da minha avó morrer, os meus pais mandaram-me e à minha irmã para casa de uma prima da minha mãe. Era uma família grande e não dava para ficar triste ou pensar muito na perda da minha avó porque havia sempre pessoas em nosso redor. Mas a noite é dos solitários e podemos sentir tudo o que empacotámos dentro de nós ao longo do dia. À noite eu chorava a perda da minha avó, muito silenciosamente para ninguém ouvir. Deve ter sido nessa altura que aprendi a chorar sem fazer barulho. É assim que ainda choro.


sábado, 3 de abril de 2021

Version 3.333

Fui jantar ao Coastal Fish Company, em Shelby Farms. O dia estava muito luminoso e surpreendeu-me não haver muito trânsito, mas talvez fosse porque muita gente estava a trabalhar. O restaurante tinha bastante movimento e quando saímos estava completamente cheio. A maior parte das mesas são no pátio exterior que funciona o ano todo. Quando está mais fresco, como foi o caso de hoje, acendem uns aquecedores a gás que estão espalhados entre as mesas, logo o restaurante tem funcionado desde que saímos do primeiro e único confinamento. Após o jantar, caminhámos por uma meia hora em redor do lago. O pôr-do sol não foi espectacular, mas há sempre algo de mágico durante o crespusculo, em que noite e dia se confundem. 

A serenidade do dia contrasta com uma nova tragédia em Washington, DC, em que um rapaz conduziu um carro contra o edifício do Capitólio, matando um polícia e ferindo outro. Vão ter de repensar a segurança na área, mas é uma pena que se tenha chegado a este ponto. Toda a parte do Capitólio é bastante aberta ao público e, em tempos normais, enchia-se de turistas e de visitas guiadas a estudantes pelas áreas não restritas. Um dos meus colegas de trabalho conta que uma vez estava no edifício e viu a Nancy Pelosi a passar rodeada de pessoas e a andar muito depressa. Ele ficou com a ideia que ela trabalhava muito, apesar de na altura já ser uma septuagenária avançada. É muito simbólico que haja este acesso a quem tem o poder, pois quem tem poder recebe esse poder do povo e, como tal, deve ser fiscalizado pelo povo.

sexta-feira, 2 de abril de 2021

Version 3.332

Depois de mais de 24 horas com a primeira vacina da Pfizer no sistema, sinto-me bem, mas o meu braço ainda dói. Tomei um banho bastante quente e ajudou um bocado a dor passar. Estou curiosa acerca da segunda vacina, dado que algumas pessoas têm reacções bastante severas. 

Amanhã vou jantar fora e a reserva foi feita para o pátio do restaurante, pois é onde me sinto mais confortável. Hoje recebi um convite para ir a uma festa de anos no dia 11, também num restaurante. A pouco e pouco, a vida volta a ter as actividades de antes. Não muitas, mas mais do que nenhumas.

Sinto estranheza que nós aqui comecemos a normalizar e a Europa ainda continue a ter surtos. Penso que, inevitavelmente, irá haver instabilidade social. As pessoas irão revoltar-se de não conseguirem avançar com a sua vida e o sofrimento humano também pesa na consciência colectiva. 

Estive a fazer os meus cálculos mentais de risco e só deve dar para viajar para a Europa daqui a uns dois anos. Não sei se o meu pai sobrevive tanto tempo, mas sempre que o vejo presumo que pode ser a última vez. Estar longe ajuda-nos a ter mais consciência de que nada, nem ninguém, dura para sempre.