sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Atrapalhando o tráfego

Uma vez a falar com um amigo sobre gostos musicais, amigo esse que é co-autor neste vosso blogue, terei dito: Meu caro, posso gostar de muita coisa, e gosto, posso ter muitos músicos e músicas preferidas, e tenho, mas há três que estão num patamar diferente de todos os outros: Zeca Afonso, Bob Dylan e António Jobim. Todos os outros estão um patamar abaixo, pelo menos um patamar.

Na verdade, à medida que o tempo passa. Entre os outros de que gostava muito estavam o Chico Buarque, o Caetano Veloso, o Nick Cave, Ella Fitzgerald, Billie Holiday, entre muitos outros. No entanto, quanto mais o ouço, mais Chico Buarque se destaca e se eleva ao patamar definido pelo trio inicial.

Há pouco cruzei-me, novamente, com a Construção. É uma música tão forte, o puzzle de palavras que são montadas numa angústia crescente é tão louco que é quase impossível. Praticamente absurdo.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.