sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Jorge Palma | Portugal, Portugal.



Esbanjaste muita vida nas apostas
E agora trazes o desgosto às costas
Não se pode estar direito
Quando se tem a espinha torta
Ai, Portugal, Portugal
De que é que tu estás à espera?
Tens um pé numa galera
E outro no fundo do mar
Ai, Portugal, Portugal
Enquanto ficares à espera
Ninguém te pode ajudar

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.