segunda-feira, 21 de outubro de 2013

MAIS UMA GALGA…

por Cristóvão de Aguiar


Fico néscio, irritado, azedo e o mais que se quiser pôr na carta com a obscena em­bustice, muito bem concebida e regada com penicos de retórica e de circunspecta astú­cia que, há pouco, nos atirou à cara, na pre­sença da Ministra das Finanças, sua irrevogá­vel recém-ini­miga figadal e agora colaça, o cristão velho, con­victo, de missa e comu­nhão regular, Paulo Portas, o paladino das feiras e das freiras, o mos­queteiro dos reforma­dos, idosos e pensionistas, o santo padroeiro dos humildes, dos sem-abrigo, o provedor dos pobre­zinhos, das viúvas e das donzelas de­sencaminhadas – sobre o fim da auste­ri­dade por ele decretada, em conferência de imprensa, sem que ne­nhum jornalista lhe tivesse ati­rado um sapato iraquiano como há anos fizeram a Bush filho… Um fino cultor do malabarismo da pala­vra, cristãmente enve­nenada, para se tornar mais corro­siva, que só o se­nhor Artur Lima, irritante figura quiasmática, na Ilha Terceira, do grupo da cristandade centrista, que não das ma­neiras delicadas e delico-doces do seu presidente de partido, como se viu nas últimas autárquicas sempre que se referia ao adversário Álamo Menezes, eleito Pre­sidente da Câmara de Angra, poderá deslindar em linguagem mais chã a razão ou as ra­zões por que o seu chefe mente tanto…  

Vou-me per­guntando, em passo estugado, se haverá cristianismo ou outra filosofia humana capaz de consertar ou concertar os caboucos esborra­lhados que o tempo e as gentes foram dei­xando ruir, esquecendo-se de os reerguer com pedras, argamassa e alguns dos princí­pios essenciais como o de lavar as partes pu­dendas e fazer a higiene oral antes da deita…

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.