sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

O dinheiro fala mais alto

Há uns meses, depois de Donald Trump ganhar as eleições, notei que no Marshall's onde costumo ir de vez em quando, a roupa da Ivanka Trump, que costumava estar logo à frente, desapareceu. Nessa visita, vi apenas uma peça enfiada na secção de saldo. Pensei que tal fosse por o condado de Harris, onde estou, ter votado a favor de Hillary Clinton com 54% dos votos (mas dentro de Houston mesmo, a margem foi muito maior). Fiquei curiosa com o que se passaria em outras cidades do país, como Oklahoma City, apesar de não me ter ocorrido visitar uma loja numa parte mais Republicana da área metropolitana de Houston.

Desde então, tenho andado a pensar se o negócio de Ivanka Trump é viável, pois há muita animosidade contra Donald Trump e, de um momento para o outro, usar algo ligado a ele tornou-se de mau gosto. A Nordstrom anunciou que irá deixar de vender a marca Ivanka Trump, mas não foi por uma questão política. Parece que quem não gosta do Trump deixou de comprar e quem apoia o Trump não compra.

Todas as companhias que dão a entender que apoiam qualquer coisa que Trump defende são boicotadas por quem não gosta de Trump e a Grab Your Wallet faz campanha contra elas. Os americanos sempre tiveram a ideia de que a maneira como consomem e as marcas que escolhem são uma forma de apoio às ideias que os gerentes das marcas partilham. Eu consumo de acordo com o que acredito, não decido apenas com base no preço, também olho para a qualidade, a imagem que a marca cultiva, etc.; mas fiquei chateada quando boicotaram a New Balance.

Compro sapatilhas New Balance há mais de 10 anos e faço-o porque ainda há modelos que são feitos nos EUA e eu tento comprar esses (assim como tento comprar coisas portuguesas de boa qualidade, das quais eu goste). Agora com o proteccionismo do Trump, os White Supramacists a tecerem elogios à New Balance, e o CEO da New Balance a dizer que algum proteccionismo iria ajudar o negócio, o pessoal começou a queimar New Balance, a fazer vídeos e a partilhá-los nas redes sociais.

Fiquei chateada com isto, especialmente porque a New Balance tem uma colaboração com a J.Crew em roupa de desporto e eu adoro J.Crew, logo não os quero boicotados (ai de vocês se contactarem a Grab Your Wallet a fazer queixa da J. Crew -- olhem que eles fotografam muitos catálogos em Portugal e eu dou-vos nas orelhas). Aliás, as últimas sapatilhas New Balance que eu comprei foram mesmo pela loja online da J. Crew; usei-as esta manhã para passear o Chopper.

Adenda: o WashPost tem um artigo interessante sobre toda esta guerrilha das compras.



Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.