sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Aussi le résultat de politiques anti-européennes d'austerisme: chômage,xénophobie,injustice, extremisme,terrorisme — Ana Gomes

O problema da Ana Gomes não é o de achar que a austeridade é culpada pela crise económica em que vivemos e que, como consequência disso, as políticas de integração das minorias são mais precárias. 

Não é preciso ser-se muito inteligente para pensar como a Ana Gomes. Tal como não é preciso ser-se muito inteligente para pensar que a culpa da crise é dos excessos dos governos anteriores. Também não é preciso ser-se muito inteligente para se culpar os banqueiros pela crise. Ou a globalização. Ou a arquitectura do Euro. Ou a Merkel. Enfim, não é preciso ser-se muito inteligente para acreditar em qualquer uma destas alternativas, tal como não é preciso ser-se muito inteligente para duvidar de todas elas. Tudo isso cai no domínio do que se pode, e deve, discutir politicamente.

O problema das declarações de Ana Gomes é mesmo o de misturar o que não pode ser misturado, o que deve ser discutido com o que não pode ser discutido. É como discutir a mini-saia de uma miúda que foi violada. 

Ataques terroristas simplesmente não podem ter justificação.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.