segunda-feira, 27 de março de 2017

Belas contas...

Quando o défice em percentagem do PIB melhora sensivelmente à mesma velocidade do ano passado, mas a dívida em percentagem do PIB, que desacelerava, passa a acelerar, conclui-se que cálculo diferencial não é o forte da dupla Centeno/Costa.


Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.