terça-feira, 27 de junho de 2017

O nosso falhanço

Antes de Pedro Passos Coelho falar no suposto suicídio, o Observador publicou um artigo no Sábado em que um senhor, funcionário municipal em Castanheira de Pera, disse que a Protecção Civil, a Segurança Social, e a PSP só prestaram serviços às vítimas entre as 14 horas e as 18. Fora desse horário não se pode estar deprimido, parece.

No programa de rádio Sinais, de Domingo, falava-se de uma reportagem publicada no JN (não sei se é Jornal de Notícias ou de Negócios) acerca das pessoas de Soito, que foram atingidas pelo fogo no ano passado e que ainda não receberam apoio. Também se mencionou que em Pedrógão Grande, o apoio psicológico não chegou, apenas havia apoio psico-social pedido pela própria autarquia e prestado por Fuzileiros.

Estamos a falhar como sociedade e os "erros" de PPC não são a causa do falhanço: são apenas um sintoma.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.