quarta-feira, 17 de outubro de 2018

Comercial menos comercializável

Fui a uma daquelas FNACs pequenas, que terão de fazer uma escolha criteriosa dos artigos que disponibilizam, e fiquei surpreendido que, na secção de dvd/blu ray, uma proporção elevada dos filmes disponíveis fossem ditos alternativos, ou não comerciais. Diria que eram pelo menos metade. A massificação do streaming , o legal e o pirata, reduziu dramaticamente a compra de discos, mas talvez tennha reduzido proporcionalmente mais a compra de filmes comerciais. Poderiam adiantar-se algumas explicações especulativas. Por exemplo, talvez os filmes comerciais sejam mais substitutos entre si (só quero ver um filme que me entretenha, não me preocupa muito qual desde que cumpra o papel), pelo que, se já tenho uma subscrição do Netflix, não preciso de mais. Por oposição, os filmes independentes que seriam mais insubstituíveis (quero mesmo ver aquele específico). Imagino que haja outras teorias. Seria interessante ver os dados da evolução das vendas diferenciadas por tipo, mas não encontrei. E seria muito interessante - e irónico - que os filmes menos comerciais se tornassem os mais comercializáveis.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.