domingo, 21 de setembro de 2014

Virtude e fortuna em Maquiavel

Virtude é a paixão pela realização do bem público, paixão que compete com as paixões mais baixas até conseguir que estas se identifiquem com aquela.
Fortuna é a expressão do resíduo irracional, do imponderável, do imprevisto, da margem de inexplicabilidade que se encontra em toda a história. Os homens são iguais por natureza, pois todos nascem com as mesmas capacidades. Mas a fortuna distribui de um modo caprichoso e injusto as vantagens meramente acidentais do mundo, o que leva à desigualdade e, com ela, à inveja e à competição.
A arbitrariedade da fortuna desafia-nos constantemente a reafirmar a virtude, pela lembrança de que a virtude, essa, não é uma dádiva da fortuna, nasce, pelo contrário, da vontade do Homem.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.