segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Contos zen para crianças boas 189

Quando o calor cai como um bloco de cimento em cima de cães, gatos, periquitos e plantas várias, e todos dormem longas sestas de braços estendidos e pernas esticadas, e nem as moscas circulam no ar pesado e estático, e nem os peixes voadores se atrevem acima da superfície dos lagos, e os canos queimam as mãos e os puxadores das portas fervem, pouco há a fazer senão esperar que passem as horas do dia com sol inclemente e suspirar, devagarinho que de outra maneira custa, pela água espantosamente fresca das fontes romanas. Os romanos sabiam mais do que estender impérios e aniquilar tiranos ou exaltá-los. E sabiam mais do que gritar por sangue nos circos e nos triunfos. Chegaram até nós as leis e as fontes romanas de água espantosamente fresca e as odes de Horácio. As festas são o seu tema, os seus guerreiros são belas donzelas que enfrentam jovens de unhas aparadas e, livres de fantasia ou presas na armadilha de Cupido, ainda assim mantêm leve o seu temperamento.

- Contos Zen para crianças boa

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.