terça-feira, 9 de agosto de 2016

Progressos

Vi muitos comentadores de esquerda a criticar veementemente os convites da GALP que alguns secretários de estado aceitaram. Inclusivamente a pedir as suas demissões.
Vi muitos comentadores de direita a criticar veementemente o último emprego que Paulo Portas arranjou.
Isto é muito bom. Quando estas atitudes se generalizarem, os políticos não terão outro remédio que não o de se conformarem a uma maior exigência do público.
Como tem salientado o Nuno Garoupa, falta ainda todos -- quer à esquerda quer à direita -- criticarmos e pressionarmos as empresas que andam a fazer estes convites. Independentemente de sermos keynesianos (e acreditarmos que é a procura que gera a sua oferta) ou clássicos (e acreditarmos que é a oferta que gera a sua procura) temos de censurar quer a oferta quer a procura destes convites.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.