sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Furacão Harvey

O furacão Harvey deve atingir terra hoje à noite, na zona de Corpus Christi, que é uma das zonas que tem melhor praia no Texas. Ontem uma amiga minha que vive em Corpus Christi evacuou para Austin. Houston não está sob ordens de evacuação, apesar de o Governador do Texas ter dito esta tarde que, se calhar, as pessoas das zona litoral deviam pensar em evacuar. O Mayor De Houston disse logo no Twitter que as pessoas deviam ficar onde estão. Houston é enorme, com zonas baixas pantanosas e canais --os bayous -- que percorrem a cidade e que servem para escoar água da chuva.




Mesmo com bayous, partes da cidade inundam e é frequente haver fatalidades. Algumas das autoestradas de Houston foram construídas em terra pantanosa, sujeita a inundações. Se todos evacuarmos ao mesmo tempo, muitas pessoas podem morrer nas auto-estradas. Para além disso, neste momento muitas estações de gasolina estão esgotadas, logo muitos veículos também ficariam pelo caminho a entupir as autoestradas. Em 2005, quando tentaram evacuar a cidade por causa do furacão Rita, o trânsito foi infernal -- o pior da história da cidade -- e houve mais de 100 mortes, inclusive 24 por causa de um autocarro que se incendiou. Agora Houston tem mais residentes, logo seria irresponsável evacuar. (Podem ver o mapa do trânsito das autoestradas em Houston aqui.)

A parede do olho da tempestade é o sítio mais perigoso do furacão: é onde estão os ventos mais fortes e onde se formam tornados, mas um tornado é relativamente pequeno e sermos atingidos por um é improvável. O perigo maior é a chuva. Assim que o furacão entra em terra perde energia, pois o que alimenta o furacão é o ar quente do mar. Com o Harvey, há a possibilidade de o furacão entrar em terra, regressar ao mar, e voltar a entrar, o que pode causar mais estragos, pois assim apanha mais vapor enquanto está no mar, o que produz mais chuva. Esta tempestade também é muito lenta, o que aumenta o volume de chuva acumulado nos sítios por onde passa. É esperado haver bastantes inundações em Houston.

Nesta altura, os residentes são aconselhados a rever o seu plano de emergência e ter comida, água potável, primeiros socorros, medicamentos, etc., para vários dias. Na televisão e na Internet, passam informação acerca da tempestade, do que as pessoas devem ter, e também vídeos que explicam como se morre em furacões e que comportamentos nos colocam em situações de risco. Nas inundações que podem ocorrer por causa de um furacão, basta seis polegadas de água (15 cm) com corrente para nos desequilibrarmos e ficarmos em perigo. Há a mistura de água e electricidade, fugas de gás, incêndios devido a velas, etc.

Para além da incerteza da tempestade, as pessoas estão apreensivas por causa de questões políticas. Não se sabe como o Presidente Trump se irá comportar e fala-se num teste do Presidente. Depois os senadores e representantes do Texas no Congresso votaram contra o pacote de ajuda às vítimas do furacão Sandy em 2013. No entanto, as pessoas parecem ter confiança no Director da FEMA que a Administração Trump nomeou: dizem que não parece ser incompetente.

Aqui está o percurso previsto do furação. Para terem um ponto de referência, Bellaire, onde eu estou (ponto vermelho), fica a 40 minutos de League City.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.