terça-feira, 29 de agosto de 2017

Harvey, dia 5

Continuamos em modo "Rescue" em Houston e arredores, com algumas zonas em risco de inundarem. Disseram na TV que cerca de 30% da área do Condado de Harris está inundada, mas como a situação é dinâmica, as autoridades trabalham com modelos para tentar perceber como a água se irá comportar no subsolo: onde irá acumular, onde pode causar cheias, etc. Há algumas falhas de infraestrutura; por exemplo, uma ponte na parte leste de Houston, sobre o Bayou Greens, ruiu; a barragem no Condado de Brazoria, a sul de Houston teve uma falha e a população afectada tem de ser evacuada.

Talvez seja interessante mostrar-vos alguns dos recursos. As autoridades do Condado de Fort Bend disponibilizam um mapa interactivo para as pessoas introduzirem a morada e verem se estão sujeitas a ordens de evacuação. A nível nacional, o NOAA (National Oceanic and Atmospheric Agency) e o USGS (United States Geological Survey) têm o Advanced Hydrological Prediction Service, que prevê inundações e cujo mapa se pode consultar na Internet.

Hoje de manhã, o Mayor de Houston fez uma conferência de imprensa onde disse que as autoridades estão preocupadas com a situação humana dentro dos abrigos. Até agora não tem havido problemas, mas receia-se que estando tanta gente junta durante tanto tempo, sem nada para fazer, as pessoas possam entrar em conflito. As necessidades básicas (roupa e comida) estão asseguradas, mas especialmente para as crianças, há necessidade de livros e brinquedos que as possa manter ocupadas.

Ontem no NextDoor, a rede social de vizinhos, uma senhora numa das zonas afluentes teve a ideia de perguntar antes das sete da manhã, se havia restaurantes abertos porque estava farta de comer sanduíches. Caíram-lhe os vizinhos em cima. Há filas nas mercearias e nem todas estão abertas. De qualquer das formas, as autoridades pediram para não sairmos de casa e assim não desviarmos recursos das pessoas que estão em apuros. Se tivermos um acidente de carro, ficarmos sem gasolina, ou o nosso carro avariar, não há garantia que alguém nos possa ajudar.

Algumas pessoas já começaram a colocar o seu lixo à porta de casa, o que não é permitido, pois não há serviço de recolha de lixo e alguns camiões de lixo estão a ser usados para recolher pessoas das zonas inundadas. Para além disso, com a chuva que recebemos há o risco de o lixo entupir as sarjetas.

Houston é a capital da energia nos EUA, logo esta tempestade afectou a distribuição de gasolina e gasóleo a nível nacional. Antes da tempestade, as pessoas na zona afectada foram aconselhadas a encher o carro de gasolina como precaução. Em muitas estações, não há combustível porque esgotou nessa altura, logo se as pessoas começarem a andar de um lado para o outro desnecessariamente, esgotam a pouca gasolina que ainda há, ficando os veículos que estão a ser usados nas operações de salvamento sem acesso a gasolina.

A contagem de mortos é de pelo menos 14 pessoas e receia-se que se irão encontrar muitos corpos depois das águas escoarem. A Slate tem um artigo com algumas estatísticas desta tragédia.


Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.