terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Céus empestados

Garanto que se fosse mais novo e mais rico do que desgraçadamente sou, emigrava já hoje para a América. Não por cobardia – pois os tempos não podem prejudicar-me pessoalmente mais do eu a eles – mas por uma aversão avassaladora à podridão moral que, para empregar a frase de Shakespeare, empesta os céus.

O poeta Joseph von Eichendorff a um correspondente, 1 de Agosto de 1849 (reproduzido em A Era do Capital de E. J. Hobsbawn)

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.