sábado, 17 de outubro de 2015

Uma grande pena...

Que a Vera não possa escrever aqui, mas mesmo não podendo, foi através deste blogue que eu a conheci e depois mantivemos contacto pelo Facebook e, por isso, tive oportunidade de passar tempo com ela em Portugal.

A Vera é especial--ela acha que eu sou exagerada, mas não sou nada. Quando eu estou ao pé dela, fico feliz. Quando converso com ela, corre-me bem o dia. E ela até lê o que eu escrevo e corrige-me os erros, que são mais do que muitos. Mas são erros felizes porque são também razões para receber uma mensagem dela.

Aqui está a Vera num artigo de 2014. Eu disse-vos que ela era especial...

Eu espero que não seja e que não se baseie no anterior modelo assente na procura interna. Mas não vejo feitas as reformas estruturais que a deviam sustentar e não as veremos em 2015, até porque há eleições legislativas. De resto, a instabilidade política - a nível nacional, com um Parlamento sem maiorias absolutas, eventualmente, ingovernável e, a nível europeu, com partidos radicais a terem assento em Espanha e Reino Unido - é um risco que se soma aos já referidos.

Fonte: Económico

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.