quarta-feira, 30 de maio de 2018

Eternidade...

Fiquei um bocado triste que se usasse a questão da eutanásia para ganho político. É verdade que todos têm direito à vida, mas não há vida sem morte e é uma falsa ideia achar que ser contra a eutanásia é ser a favor da vida. As pessoas não são eternas e vão morrer com certeza absoluta; o que não é sabido é quando irá ocorrer a morte e a que tipo de sofrimento estarão sujeitas.

Parece-me um bocado arbitrário ser contra a eutanásia ao mesmo tempo que não se questiona o direito do doente recusar tratamento, apressando assim a sua própria morte, uma prática que é perfeitamente legal. Uma outra coisa que não se vê em Portugal são os processos em tribunal por más práticas médicas que causem a morte, o que seria perfeitamente expectável se os portugueses valorizassem tanto o direito de os doentes terem uma vida o mais longo possível.

Mas por que razão me surpreendo eu com mais um circo? Não há uma tradição de debate sério em Portugal e, se os portugueses compreendessem o conceito "compare e contraste", o país estaria muito melhor do que o que está.

Vamos à música...






Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.