terça-feira, 21 de abril de 2015

Turbinação do passado

Vi o vídeo da Ana Malhoa para me educar (ou será deseducar?). As mamas dela recordaram-me da última vez que fui a Las Vegas. Fui ao Crazy Horse com um amigo, que insistiu em comprar-me uma lap dance. Eu escolhi a moça, que era uma rapariga asiática, que eu achei bonita. Enquanto ela me conduzia ao sítio onde me iria fazer a lap dance, olhou para as minhas mamas e disse "Are those real?" Eu respondi "Yes", ao que ela disse "You're lucky, I had to pay for mine."

Inveja de mamas é uma condição que aflige muitas mulheres, mesmo as profissionais; também aflige alguns homens. Felizmente, ainda não tive de as espremer para ninguém. O cérebro espremo quase todos os dias. Work it, NAJ!!!

P.S. Tenho de meter isto em Competitividade: as mamas são uma vantagem comparativa...

6 comentários:

  1. Essa tua exortação no final do post, dirigida a mim, é para o cérebro ou para as mamas? 😏

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu prefiro o teu cérebro às tuas mamas, mas tu é que sabes...

      Eliminar
    2. Eu não. Achas que eu deva ver antes de as rejeitar?

      Eliminar
  2. Ah, e a Ana Malhoa também as pagou, segundo diz a imprensa especializada. Mas segundo as mesmas fontes, ela recuperou o investimento com o ensaio fotográfico da Playboy.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aquele vídeo é de muito mau gosto, mas cada um tem as suas preferências. Eu gosto do catálogo da Pottery Barn. E com isto, vou ler o "Romance" do Almada Negreiros. Apesar da Playboy ter entrevistas intelectualmente estimulantes, eu prefiro levar o Almada para a minha cama.

      Eliminar

Não são permitidos comentários anónimos.