sexta-feira, 5 de maio de 2017

Na mesma...

Como escrevia o LA-C no Observador há uns meses, o critério do défice já não serve para nada, dada a subversão a que foi sujeito depois de alcançar relevância política. O governo português tem andado a sondar o Eurostat no sentido de saber se os investimentos no âmbito do plano Juncker podem ser deixados de fora das contas do défice.

Note-se que o critério do "défice" é um critério relativo: é o rácio do défice sobre o PIB potencial. Se os investimentos gerarem crescimento para a economia, tanto na sua construção, como depois do investimento terminado, então o PIB potencial aumenta mais do que o valor do investimento, logo o défice melhora. Se é preciso deixar o investimento fora do défice para não o agravar, é porque o governo tem bastante confiança de que o investimento não irá gerar valor para a economia que justifique o seu custo.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.