quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Mensagem

Na Terça-feira, foi dia de eleições nos EUA. Há eleições todos os anos, mas as mais importantes são as presidenciais, que têm lugar cada quatro anos: as últimas foram em 2016, as próximas serão em 2020. As que ocorrem exactamente a meio do período entre eleições presidenciais também são importantes porque afectam o Congresso, dado que na Câmara dos Representantes o termo é de dois anos e no Senado de seis. Depois há também as eleições locais para eleger governadores, tenente-governadores, os representantes para os parlamentos dos estados, as cidades, os condados, os distritos escolares, juízes, xerifes, procuradores, etc. Mas de notar que nem todos os sítios têm o mesmo sistema.

Por exemplo, o Texas tem um sistema em que os juízes são eleitos e, para além disso, na eleição, estão associados a um partido político; mas há estados em que os juízes não são eleitos e também há estados em que são seleccionados por um sistema de eleições apartidário. Outro exemplo: o Texas tem um governador e um tenente-governador, mas há estados que só têm governador. É tudo muito confuso e sempre que mudamos de sítio, se queremos participar no processo democrático, temos de nos familiarizar com a forma como as coisas funcionam em cada local.

Para além de eleger pessoas, também votamos em assuntos. Se calhar já ouviram o termo "proposições". Uma das proposições mais famosas foi a chamada "Proposition 8" da Califórnia em 2008, que tinha o objectivo de banir o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Esta proposição, depois de muitas peripécias, acabou no Supremo Tribunal, dando uma vitória judicial, em 2013, aos defensores do casamento entre pessoas do mesmo sexo. As proposições podem ser a nível do estado ou local, por exemplo, proposições de cidades. Aqui está uma imagem parcial do boletim de voto para a "precinct" a que pertenço:


Passámos o dia de ontem, Quarta-feira, a falar dos resultados das eleições e o consenso é que, como esperado, os Republicanos foram castigados e os Democratas tiveram melhor desempenho. É esperado porque quando há descontentamento com a liderança do país -- e há sempre -- o partido do Presidente costuma sofrer mais. Os resultados deram a vitória a dois governadores democratas: Nova Jérsia e Virgínia, ambos anteriormente liderados por republicanos. Para além disso, houve muitas mulheres, minorias étnicas, e pessoas associadas à comunidade LGBT, que ganharam eleições. No entanto, há que notar que os Democratas conseguiram mobilizar muitos eleitores para ir votar, mesmo em sítios onde estão em minoria.

Onde não há consenso nos resultados destas eleições é qual a mensagem para os derrotados. Há pessoas no GOP que acham que as eleições reflectem o falhanço de o Congresso não conseguir passar a legislação desejada por Donald Trump, ou seja, não se conseguir agradar à base do partido; e outras que acham que o mal é mesmo a base e devem tentar agradar ao meio e afastar-se de posições extremistas. Veremos se alguma coisa irá mudar ou se continuarão a divergir entre si...

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.