quarta-feira, 19 de abril de 2017

Sem apelo nem agravo

O poder tirânico é definido como um poder arbitrário e significava originalmente que o governo não tinha de prestar quaisquer contas. Ainda que seguindo por um caminho diferente, a burocracia chega ao mesmo resultado. Em vez das decisões arbitrárias do tirano, deparamo-nos com procedimentos universais estabelecidos ao acaso, mas contra os quais também não há apelo. Segundo Hannah Arendt, do ponto de vista dos súbditos, a rede de normas em que se encontram presos é muito mais perigosa e mortal do que a simples tirania arbitrária.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.