quarta-feira, 25 de novembro de 2020

Version 2.205

Quando leio a imprensa portuguesa, sinto uma mistura de repugnância e contentamento. Uma notícia no Eco fala de como Portugal está abaixo da média na despesa extra de saúde por causa da pandemia. Note-se que Portugal gastar abaixo da média não é automàticamente problemático, dado que paga salários abaixo da média.

O que é problemático é o que vem a seguir: Portugal esteve bem no controle da transmissibilidade do vírus, o que fez em 32 dias. A única coisa que Portugal fez para controlar o vírus foi fechar o país na mesma altura que os outros países fecharam, só que como o vírus chegou a Portugal mais tarde, o contágio não foi tão rápido. Naquela altura, Portugal fazia poucos testes, o próprio PM Costa o disse. E depois as autoridades não fizeram rastreamento generalizado de contactos, logo como é que controlaram intencionalmente?

Como é possível que, com tanta gente a morrer, os jornalistas abdiquem de pensar crìticamente e induzam os leitores em erro? Ou talvez deva interpretar este comportamento como atrevimento e desfaçatez. Se for esse o caso, se calhar até nem estamos mal de todo. É que se as coisas já estão assim tão más, é sinal que estamos mais perto de uma mudança brusca do que se julga. Só falta alguém cair da cadeira, salvo seja...

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.