quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Enviesamentos eleitorais

Não vi o debate Passos Coelho/Costa. Suponho que poderia ter visto na Internet, mas tenho a desculpa daquilo decorrer durante o meu horário de trabalho. Também não tenho vontade de o ver depois, nem de ler artigos de jornal acerca da coisa, para além do que escreveu o LAC. Não tenho muita paciência para ficção hoje em dia, prefiro poesia e econometria. Para além disso, não me deixam votar porque quando eu fui ao consulado de Portugal em Washington, D.C., a senhora que faz o recenseamento estava de férias e ninguém me podia inscrever senão ela. Bem-vindos ao século XIX--ah, pois, devia ter posto o I à frente do X; devia ser século XXI...

As impressões que tenho do debate são as das reacções no Facebook: concluo que cada um ouviu o que queria ouvir. Quem tem o enviesamento do PS continua no campo do PS e acha que Costa esteve muito bem; quem tem o enviesamento do PSD continua por lá e acha que Passos Coelho é a encarnação do divino. Depois há quem tenha achado o debate muito aborrecido. Acho mau, ou melhor péssimo e digno de pena, que dois políticos à frentes dos dois maiores partidos de Portugal não consigam produzir um debate interessante nas circunstâncias actuais do país, da UE, e do mundo.

É que Portugal até apareceu na Bloomberg, ontem, num artigo sobre as nações mais envelhecidas do mundo. Portugal ocupará o quarto lugar no ranking em 2050. Neste momento, até é a terceira nação mais envelhecida do mundo, segundo o boneco do artigo.

Viva nós, a medalha de bronze já cá canta!

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.