segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Num mar

Navego sem rumo num mar infinito;
Não vejo porto, nem bonança.
Apenas cumpro o meu destino
Sem nenhuma fé ou esperança.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.