terça-feira, 1 de janeiro de 2019

Dia 1

Terminei 2018 triste por uma coisa que nem sequer me envolve, mas que é muito importante para alguém. Estava no Facebook e descobri que um casal que eu admirava se tinha separado. Fiquei imensamente triste, o que, por si só, é também uma grande contradição para mim.

Na minha ideia, amar alguém é achar nessa pessoa algo melhor do que em nós e não faz sentido, se a amamos, privá-la de uma felicidade maior que poderiam ter com outra pessoa, logo é perfeitamente legítimo deixar a pessoa amada sair da nossa vida. Mas não faz sentido que assim seja porque se há sempre alguém que poderá ser melhor do que a pessoa actual, então, se todas as pessoas pensassem assim e andassem sempre à procura e não se comprometessem com ninguém, isso implicaria que todos ficariam sós o que também não é ideal.

Não sei se fique feliz que estas pessoas se tivessem separado e que assim possam continuar com a sua vida, talvez encontrando parceiros melhores, ou se fique triste que algo que construiram tivesse terminado. Depois também encalho nisto: há quem passe o tempo à procura da felicidade, eu prefiro investir em evitar a infelicidade.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.