sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

Dia 10

Mal consigo escrever porque o Julian está a lamber a minha mão esquerda incessantemente. Acalmou agora... Hoje ao terminarmos o passeio vespertino fomos abordados por uma vizinha que conduzia uma carrinha; tinha encontrado um cão e andava à procura do dono. Mandei-a consultar o NextDoor ou meter lá um anúncio. Era uma rapariga hispânica com um ligeiro sotaque acompanhada por uma senhora de mais idade que não chegou a dizer nada. Se calhar, nem devia falar inglês.

Elas partiram e, na esquina, encontrámos o meu vizinho Mike a passear dois cães, mas um não reconheci. Estranhei porque ele tem dois cães. O novo era o cão de outro vizinho que, fiquei a saber, está no hospital de Vanderbilt a ser operado a um cancro. Falei da vizinha da carrinha enquanto o Julian tentava aproximar-se do cão novo e, passados alguns minutos, o Mike disse, com uma voz emociada, que o Brownie, o outro cão dele, tinha morrido. Sentiu-se mal do Domingo e tiveram de o levar à urgência onde foram aconselhados a eutanasiá-lo. Coitado do Mike, estava mesmo perturbado.

Amanhã é o vigésimo-segundo dia do shutdown do governo americano, o que fará deste shutdown o mais longo até agora. Antes o record pertencia a um que aconteceu durante a presidência de Bill Clinton -- foi durante essa ocasião, em que muitos dos funcionários federais não estavam a trabalhar, que a Casa Branca decidiu usar estagiários e Clinton envolveu-se com uma delas. No shutdown do Trump não há estagiários na Casa Branca, mas há muitas pessoas chateadas no resto do país.

Uma das últimas notícias de hoje indica que a Casa Branca está a considerar usar fundos que tinham sido aprovados pelo Congresso, mas não chegaram a ser gastos em emergências, como furacões, cheias, e fogos, para construir a vedação na fronteira. Acho incrível que haja dinheiro que não tenha sido gasto em Porto Rico -- cerca de 3 mil pessoas morreram por causa do furacão Maria, como é que não gastaram o dinheiro todo?

Muitos dos prejudicados das políticas de Trump são as pessoas que votaram nele. Caíram na esparrela à primeira, mas acho difícil que o façam uma segunda vez...


Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.