quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

Dia 16

Tirando os portugueses sofrerem de um síndrome parecido com o de Estocolmo, não vejo como é que o PS é tão apoiado. Normalmente, um partido goza de mais apoio quando é eleito e depois perde, mas com o PS é ao contrário. Por vezes ouço as pessoas falar do PS e e nota-se que ainda estão fixadas no partido da Natália Correia, só que a Natália Correia morreu e agora o PS é de pessoas como a Maria Begonha.

Para além de ter a malta do Sócrates, as políticas que segue no governo não fazem sentido. Por exemplo, agora decidiu acabar com as propinas no ensino superior. Em primeito lugar, isso nunca foi promessa de campanha; depois, não faz sentido não haver dinheiro para comprar manuais escolares a tempo e horas para os alunos mais jovens poderem começar as aulas logo preparados, mas haver dinheiro para prescindir das propinas.

Também não vejo como é que se justifica que, em Portugal, onde muitos alunos pobres frequentam universidades e institutos privados porque não tiveram nota para entrar no público, mas os pais fazem o sacrifício de lhes pagar uma educação superior, o governo decida retirar as propinas do público. Gostaria de ver um estudo de impacto desta medida em termos de quem beneficia por estrato social e onde é que vai cortar para arranjar folga no orçamento.

Enfim, se este pessoal batesse bem da bola, Portugal não seria a melhor democracia entre os países "democràticamente medíocres". Se não gostam, emigrem, como dizia o outro...

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.