quarta-feira, 30 de janeiro de 2019

Dia 29

Segundo dia com o Ken para fazer pequenos reparos na casa, mas não conseguimos terminar. Perdemos imenso tempo a tentar encontrar a lata de tinta que ia com que divisão. Há cores a mais e demasiado parecidas e também havia latas de tinta indevidamente identificadas. Telefonei à dona anterior e ela orientou-me, mas foi assim que descobrimos que ela tinha escrito "sala" na lata da tinta do quarto principal e vice-versa.

O Julian, o meu cão, adora ter visitas e é muito oferecido. Por sorte, o Ken achou-lhe piada e brincou muito com ele. Parece-me que este cão iria com qualquer pessoa que lhe passasse cartão, pois quando o seu novo melhor amigo estava para se ir embora, lá o seguiu o Julian todo lampeiro, nem sequer o frio que estava na rua o incomodava.

É verdade, está frio e hoje de noite irá ficar pior porque está a percorrer os EUA um vórtex polar. Deixei as torneiras a gotejar, abri as portas dos móveis dos lavatórios, e aumentei a temperatura do aquecimento central na casa arrendada. Na casa nova também fiz o mesmo e até deixei um aquecedor ligado num dos quartos de banho. Esperemos que a água nos canos não congele e os rebente.

Durante o dia, enquanto o Ken pintava e montava varões de cortinados, passei a ferro os cortinados que tinha lavado para os encolher e pensei no LA-C, que me diria, se me visse, que devia ter feito o "outsourcing" do trabalho, mas aqui é difícil encontrar quem passe a ferro. Também não procurei por uma pessoa, confesso. Mas passar a ferro é muito aborrecido e tenho imensa pena de quem tenha de fazer isso para ganhar a vida e não sinta grande afinidade pela tarefa.

Também trabalhei um bocado remotamente durante a tarde, pois às quartas-feiras de manhã temos a reunião semanal em que discutimos o que se passa no mercado. À noite, também a trabalho, fui ao jantar do Clube de Economia de Memphis, em que o convidado especial era o Rick Rieder, o Global Fixed Income Chief Investment Officer da BlackRock, que gere mais de um trilião de dólares (trilião curto, só com 12 zeros). O PIB americano anda à volta de $19,4 triliões, portanto é muita massa.

A palestra foi muito interessante e estamos ambos de acordo, pois as pessoas não têm noção da importância de os EUA estarem a seguir uma política fiscal expansionista financiada por dívida pública ao mesmo tempo que a Reserva Federal segue uma política monetária contraccionista -- é uma combinação altamente desestabilizadora. E depois temos o problema do costume: há muitas poupanças a nível mundial e não há muitos sítios onde aplicar esse dinheiro.




Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.