sábado, 26 de novembro de 2016

Falando de especialistas...

Noto que, os nossos caros leitores, gostam muito de dizer que eu não conheço muito a realidade portuguesa ou americana, como se isso fosse uma crítica válida. As críticas revelam mais acerca de quem as faz do que do seu alvo.

Vamos, então, acertar os ponteiros porque eu aborreço-me facilmente. Em primeiro lugar, comecem a contar coisas: contem as coisas que sabem e as que não sabem. As que não sabem são, em número, infinitamente superiores às que sabem. Se ainda não chegaram a esta conclusão, é sinal que a vossa cabeça é um sítio muito aborrecido.

O que é que separa um especialista de um não-especialista? Um especialista sabe os limites do seu conhecimento e tem ferramentas que permitem expandir o limite do que sabe, ou seja, o especialista, mais do que pelo saber, define-se pela sua capacidade de aprender. Uma pessoa que desiste de aprender deixa de ser especialista e passa a ser obsoleta.

É simples, meus amigos!

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.