terça-feira, 2 de junho de 2015

Ainda a Grécia...

Como achega ao post do Fernando Alexandre, gostaria de dizer que a Grécia tem uma história de prolongar as crises. Reparem, cinco defaults/reestruturações gregos ocuparam um período de mais de 89 anos entre 1829 e 2006; já em Portugal, entre 1800 e 2006, seis episódios de default/reestruturação traduzem-se em menos de 22 anos.

O que os gregos estão a fazer agora não é inovador; é apenas o mesmo comportamento que exibem desde a independência. O que é inovador é que a UE olhe para a história e pense que basta enfiar a Grécia no euro sem supervisão nenhuma e eles vão-se endireitar só porque sim. Mesmo agora, a forma como a UE olha para o problema da Grécia é irrealista. O que não se sabe é se a UE é ingénua propositadamente, pois há quem beneficie da volatilidade que a Grécia introduz, ou se é completamente involuntário.

Fonte: Reinhart & Rogoff, 2008, NBER

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.