terça-feira, 9 de junho de 2015

Inventar o futuro

Em 1985, o Economist pediu a um conjunto de sábios para imaginarem o mundo em 2010. Não passou pela cabeça de ninguém a queda do muro de Berlim, a implosão da União Soviética ou a invenção do telemóvel, entre muitas outras coisas que se vieram a revelar decisivas.

Em parte, esta incapacidade de prever o futuro tem a ver com uma coisa muito simples: o futuro é dos inventores e as invenções não são formuláveis em leis científicas.  

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.