sábado, 5 de março de 2016

Nada

Não há nada,
Não há ninguém.
Nada existe,
Nada se tem.
Persiste o tempo,
Persiste além...

~ Rita

2 comentários:

  1. Já nem persiste a balada
    Que enchia o peito d'alguém.
    Nem a palavra largada
    Já não existe ninguém.
    Não ha tempo para nada
    Falta o alento, também.
    Tresmalhou-se a manada
    Numa noite estrambelhada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Adorei! Um diálogo de poesia. É encantador...

      Eliminar

Não são permitidos comentários anónimos.