quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Traduzir...

Às vezes, quando acordo de manhã, pego num livro de poesia e desfolho-o. Quero encontrar algo que me toque e que fique comigo o resto do dia. Um dos meus autores preferidos para fazer isso é Eugénio de Andrade, até porque muitos dos seus poemas são pequeninos e cabem num minuto que pode durar o dia todo. Ontem de manhã foi assim.

Li "Despertar" e pensei que era demasiado grande só para mim. Tirei uma foto ao poema, traduzi-o para inglês, e meti-o no Instagram e no Facebook para que fizesse pelos outros o que fez por mim.

~ Despertar ~

É um pássaro, é uma rosa,
é o mar que me acorda?
Pássaro ou rosa ou mar,
tudo é ardor, tudo é amor.
Acordar é ser rosa na rosa,
canto na ave, água no mar.

Eugénio de Andrade

* * *

~ Awakening ~

Is it a bird, is it a rose,
is it the sea that awakens me?
Bird or rose or sea,
everything is fervor, everything is love.
To awaken is to be rose within the rose,
song within the bird, water within the sea.

~ Eugénio de Andrade, traduzido pela Rita para inglês

Um dos meus amigos portugueses gostou e desafiou-me: será que eu conseguiria traduzir "The Body Electric" de Walt Whitman? Quando vi a palavra "electric", soube logo que não. Há coisas que ditas em inglês têm um sentido e suscitam uma experiência que se perde quando se traduz. "Body electric" traduzido por "corpo eléctrico" não fica muito bem.

Mas já sabem que eu sou teimosa, aquilo ficou-me e tentei traduzir as primeiras quatro linhas. Não foi perfeito, mas houve alguma satisfação. Partilhei-a com o meu amigo, que apreciou o meu esforço e comiserou-se comigo: é difícil traduzir e não perder. Algumas horas depois traduzi mais quatro...

The Body Electric
O Corpo Extasiado

1

I sing the body electric,
The armies of those I love engirth me and I engirth them,
They will not let me off till I go with them, respond to them,
And discorrupt them, and charge them full with the charge of the soul.

Canto o corpo extasiado,
Os exércitos daqueles que amo cilham-me e eu cilho-os,
Não me largarão até eu os acompanhar, lhes responder,
E os descorromper, e contaminar completamente com o êxtase da alma.

* * *

Was it doubted that those who corrupt their own bodies conceal themselves?
And if those who defile the living are as bad as they who defile the dead?
And if the body does not do fully as much as the soul?
And if the body were not the soul, what is the soul?

Duvidava-se que os que corrompem o seu próprio corpo se escondem?
E se os que profanam os vivos são tão maus quanto os que profanam os mortos?
E se o corpo não faz tanto tão completamente quanto a alma?
E se o corpo não fosse a alma, o que é a alma?

Como curiosidade, fui à procura de traduções do poema de Whitman em português. Não encontrei muitas e as que encontrei não gostei. É difícil traduzir e sentir as frases rolar da língua e criarem uma sensação comparável à do original.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.