segunda-feira, 9 de março de 2015

A arte a inspirar...

Se vocês ainda não toparam, eu sou completamente obcecada por Portugal. A minha amiga Cristina, que era uma das minhas melhores amigas na faculdade, e de quem perdi o contacto, mas que encontrei graças ao Facebook, acabou de partilhar isto no Facebook. É um artigo que diz que Lisboa é a nova capital cultural da Europa; que é uma cidade que, ao contrário de Paris, Berlim, ou Barcelona, ainda mantém a sua autenticidade e não está contaminada pelas corporações americanas. O autor, o Eric Macklin, que está em Washington, D.C., até diz que se Hemingway estivesse vivo, estaria a vaguear pelas ruas de Lisboa porque é lá que ainda se encontra um movimento artístico dinâmico. E termina ele com
"The next great American novel? Well… it just might be written in Portugal."
O nosso passado, a tremenda herança cultural que nós temos, é a chave que abre as oportunidades do nosso futuro. Seria interessante o governo português colaborar com universidades americanas ou canadianas para que os alunos de humanísticas, de arquitectura, etc., pudessem visitar Portugal e escrevessem blogues ou livros sobre a sua experiência e o que encontram. Precisamos de uns jovens estrangeiros a tirar fotos e a escrever nos cafés de Portugal.

A propósito, conhecem este álbum da Melody Gardot? Ela visitou Portugal, entre outros países, para se inspirar. O álbum chama-se The Absence porque "absence", para ela, era a palavra inglesa mais próxima de saudade. Aqui vai uma amostra:

A minha canção preferida é a "Se você me ama", que ela canta com o Heitor Pereira--ele tem uma voz... Mas ela até tem uma canção chamada "Lisboa" e outra chamada "Amália".

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.