terça-feira, 31 de março de 2015

Celebremos!

A Bloomberg tem um artigo acerca da Alemanha, que diz o seguinte:
"Germany’s gain comes from being a relatively strong economy locked into a currency union with weaker partners including one, Greece, that could tear the bloc apart."

[...]

“All in all, the ECB-induced depreciation of the euro is finding more fertile ground in Germany than in the rest of the euro zone, which is still having to grapple with debt overhang and falling house prices,” Kraemer said last week.

Quer dizer, o estímulo do BCE está a ir para a economia que menos precisa. É bom ter uns parvos no sul da UE, ou não é?

O artigo está cheio de pérolas, como esta

"The inflation rate climbed to 0.1 percent in March, after two months below zero [...]"
ou esta
"What’s good for Germany should be good for the region as a whole."
Esta última é particularmente engraçada dado que a última década, que foi boa para a Alemanha, foi péssima para o sul da UE. Mas porquê perturbar a fantasia com um pedaço de realidade? Iupi, soltem o champanhe! Não, alto! Não podemos ajudar os franceses... Passem um copinho de gewürztraminer, em vez do champanhe. E não se enganem--o gewurztraminer não serve, porque esse é francês.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.