terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Coisas básicas

A reforma do IRS e as inovações do sistema e-factura poderão exigir este ano uma atenção especial dos contribuintes em relação às novas regras do IRS. Não só porque este ano há novos prazos de entrega das declarações de rendimento – que arranca a 15 de Março –, mas também porque terão de se certificar que não perdem as deduções a que têm direito.

Fonte: Público, 12/1/2016

O (des)governo da República Portuguesa é completamente hormonal. Qual é a dificuldade de, todos os anos, ter a mesma data para efeitos de impostos? Expliquem-me a lógica e os benefícios de anualmente os prazos para os impostos serem diferentes? Isso só existe num país onde o estado é uma entidade de má fé, pois com prazos variáveis aumenta a probabilidade dos contribuintes se enganarem e terem de pagar multas.

Acham mesmo que um país onde nem sequer um evento que é certo, pois acontece todos os anos, pode ser facilmente previsível tem alguma probabilidade de crescer sustentavelmente? Quem é que quer trabalhar com gente assim? Nunca ouviram falar de "custos de transacção" em Economia?

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.