quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Spoiler alert

Adalberto Campos Fernandes disse ainda, segundo o jornal "Público", que a redução dos horários dos funcionários públicos para 35 horas semanais poderá implicar este ano no SNS "um acréscimo de custos". Uma afirmação que contraria a indicação do Governo socialista de que a redução do horário de trabalho no Estado apenas avançaria se não comportasse mais encargos no Orçamento do Estado.

Fonte: Expresso, 28/1/2016

Aparentemente, há aqui uma pequena contradição: ao mesmo tempo que nos disseram que a produtividade iria aumentar no sector público, logo não seria necessário contratar mais mão-de-obra para compensar a redução do horário de trabalho, eis que o Ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, diz que, se calhar, tem de contratar mais pessoal. A Destreza conseguiu apurar que há uma discrepância nos pressupostos do Ministro das Finanças e nos do Ministro da Saúde, mas tudo irá ser esclarecido brevemente.

Mário Centeno já está colaborar num dos próximos episódios de "The X-Files", o episódio chamar-se-á "The Excel File", e lá irá explorar-se a ideia de mudar Portugal para Marte. Em Marte um ano são 1,8809 anos terrestres, logo os parâmetros usados no Excel de Centeno são muito mais realistas lá, até porque Portugal seria uma economia fechada e sem emigração. A produtividade de uma semana que dura 13 dias é muito superior à produtividade de uma semana terrestre, mesmo com fins-de-semana de quatro dias. Todos ganham na economia portuguesa marciana: contribuintes e trabalhadores!

P.S. Post baseado numa ideia do NAJ

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.