sábado, 18 de julho de 2015

No Fundo

No fundo, eu ando muito preguiçosa e tenho descurado a leitura e o sonhar acordada. Também não tenho consumido muita poesia e esta falta corrompe a minha alma. Aqui vai um poema, só porque hoje estou um bocado introspectiva. OK, é mentira, eu sou introspectiva!

No fundo azul
no espelho de uma delicada tristeza
que os meus olhos reflectem:
vês-me?
vês-me como eu sou?
vês-me como algo que se descobre
na acrobacia da imagem?

Na sensual tranquilidade da palavra
o poeta tenta uma arriscada ordem
e entre a fábula e a reportagem

simula mentir
para atingir
a superior verdade.

~ Ana Hatherly


Torso
1932
granito
William Zorach
(n. 1889, Lituânia; m. 1966, EUA)
Smithsonian American Art Museum

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.