quarta-feira, 29 de junho de 2016

Have the cake; eat it, too!

"“Nós não vivemos de previsões, vivemos de realidades (…) Claro que o cenário internacional pode levar a que em outubro, quando apresentamos o OE de 2017, possa ser necessário fazer alguma atualização sobre evoluções futuras da economia portuguesa. Quanto a 2016, creio que os dados estão lançados e, felizmente, dão contas certas”, assegurou António Costa em Bruxelas, à saída da reunião do Conselho Europeu.

Quanto ao tema das possíveis sanções económicas a Portugal, “nada justifica qualquer risco de preocupação” relacionado com o incumprimento do Pacto de Estabilidade e Crescimento em 2015. “Já temos tantos problemas, e agora acrescentar mais um problema por causa de duas décimas que o anterior governo não terá cumprido, sobretudo num contexto em que a própria Comissão nas suas piores previsões reconhece que este ano estaremos abaixo dos 3%, é algo que as pessoas percebem que não faz sentido”, justificou."

Fonte: Observador, 29/6/2016

A realidade é que, quando este governo entrou em funções, não havia problema de duas décimas. Aliás, quando o problema das duas décimas surgiu, as pessoas até perguntaram coisas como: porque razão ia custar tanto dinheiro o Banif e porque é que se interveio no Banif antes do final de 2015. Não será que este governo teve um incentivo para prejudicar o OE 2015 para que os problemas não surgissem no OE 2016?


Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.