quarta-feira, 13 de julho de 2016

Confusões momentâneas...

Ontem, fui à loja dos animais comprar comida para peixes tropicais. Não sei o que se passou com a senhora que estava à minha frente, mas demorou vários minutos até eu ser atendida na caixa. Enquanto esperava, o meu olhar caiu na secção de roupa para cão, onde estava um vestido cor-de-rosa, com uns laços, muito giro. E, por uma fracção de segundo, pensei "Devia ir buscar um." Depois é que pensei no absurdo de comprar o vestido porque só tenho cães rapazes e senti uma confusão momentânea, até que me lembrei que já não tenho a Stella. Era para ela que eu queria comprar o vestido.

Durante muitos anos, depois da minha mãe morrer, muitas vezes senti esta confusão. Via qualquer coisa e pensava que não me podia esquecer de falar naquilo na próxima vez que conversasse com a minha mãe. É como se nós não fossemos apenas nós, mas fossemos todas as pessoas e animais que amamos. E quando os perdemos, eles continuam a querer estar connosco. Ou talvez sejamos nós que não queremos deixá-los partir completamente...

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.