quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Um dia muito educativo...

E tudo por causa da National Public Radio. A NPR é a rádio pública americana. É pública, mas não é pública à maneira portuguesa. O financiamento da NPR é por doações de indivíduos e empresas, por bolsas (grants), e pela venda dos programas. Há a NPR e depois há toda a cadeia de rádios locais que são membros da NPR e que, junto do seu público, angariam fundos para comprar programas à NPR e também à Public Radio International, à BBC, e a outras produtoras de rádio. Muitas das rádios públicas locais estão localizadas em universidades, o que permite que alguns estudantes de Jornalismo tenham estágios ou trabalhos part-time na rádio.

O mais interessante para vocês é que podem aceder a tudo isto sem ter de pagar nada. Basta ir à página de Internet da NPR e fazer o download de podcasts, ou podem fazer o download de uma app para o vosso smartphone que vos dá acesso aos programas em simultâneo ou em podcast. Se querem praticar ou melhorar o vosso inglês, isto é um recurso fantástico e o arquivo da NPR é extenso.

Hoje, quando fui para o trabalho, no programa da Diane Rehm, do qual eu já vos falei, a conversa era sobre armas nucleares e a possibilidade de um acordo com o Irão.

Ao almoço, quando fui a casa cuidar dos meus cães, apanhei dois programas:

No regresso a casa, tive a oportunidade de ouvir parte de um programa que divulga as conferências TED, a TED Radio Hour. Hoje apresentavam várias conferências sobre o cérebro humano.

Assim aprendo muitas coisas e mantenho-me ao corrente do que vai mundo. E, de vez em quando, aparecem umas ideias giras para eu vos apresentar.

Tenho pena que em Houston não apresentem o programa The Writer's Almanac a horas que eu possa ouvir quando estou no carro; é um programa curtinho, de cinco minutos, que tem sempre algumas curiosidades do dia sobre história, literatura, e escritores, e que também tem um poema recitado.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.