segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Strike a Vogue

"It is not me who is the clown, but this monstruously cynical and so unconsciously naïve society, which plays the game of seriousness in order to better hide its madness."

Salvador Dali

A Vogue inglesa está preocupada com o guarda-roupa da Sra. Tsipras. Sugerem eles que ela adopte uns modelitos de uns designers mais caros como Prada ou Alexander McQueen. Devo dizer que Prada acho muito bem porque a Miuccia tem tendências comunistas, logo o Sr. Tsipras era capaz de gostar. Já o Alexander McQueen parece-me mal: em primeiro, porque é inglês e a Vogue das sugestões também é inglesa, logo há um verdadeiro conflito de interesses; em segundo, porque é um designer que é muito identificado com a Duquesa de Cambridge, logo não é de bom tom concorrer com ela.

Para dar credibilidade às suas sugestões, a Vogue invoca os estilos da Michelle Obama e da Angela Merkel. Quando penso em estilo, Angela Merkel não me vem à cabeça, não consigo imaginar porque será... Já o caso da Michelle Obama é mais fácil pois, realmente, associo-a a estilo e ela é uma querida das pessoas que prestam atenção a esses tópicos. Mas o estilo da Michelle Obama é conhecido por duas coisas: (1) ela favorece quase sempre os designers americanos, por exemplo, Jason Wu; e (2) ela mistura peças caras com peças baratas e nem sempre a sua toilette tem peças caras. Por exemplo, ela usa muita roupa da J. Crew e as suas filhas também. Outra marca que ela usa é a Gap, que em termos de poder de compra fica abaixo da J. Crew. E finalmente, ela também usa H&M.

Durante a campanha para as primeiras presidenciais americanas do Sr. Obama, a imprensa deliciava-se a comparar o custo da toilette da Michelle Obama com o custo da toilette da Cindy McCain, esposa de John McCain. Na convenção do Partido Republicano Americano, a Sra. McCain, que vem de uma família de posses, achou por bem vestir uma toilette que custava mais de $300.000, isto em 2008 depois da economia dos EUA entrar em queda livre. Claro que não ficou muito bem vista quando havia pessoas a perder casas mais baratas do que a roupa que ela usou por não terem dinheiro para pagar a hipoteca. Ou seja, parece-me a mim que a Sra. Tsipras já é muito como a Michelle Obama.

Não sei bem o que achar do mundo, quando a imprensa internacional se preocupa em sugerir roupa super-cara a uma pessoa cujo marido governa um país onde há gente que morre electrocutada por roubar electricidade ou que queima mobília para se aquecer no inverno. O que isto me lembra é o último trabalho de Richard Avedon antes de morrer: uma fábula fotográfica com a modelo Nadja Auermann, de título "In Memory of the Late Mr. and Mrs. Comfort", publicada no The New Yorker em Novembro de 1995. Tive a sorte de ver o número revista quando saiu, pois eu estava nos EUA nessa altura, e fiquei completamente fascinada com o contraste da beleza da modelo e a completa destruição apocalíptica presente no cenário. É surreal olhar para aquilo, assim como deve ser surreal para muitos gregos ver o seu país a ser completamente destruído, sendo eles parte de uma união que controla 25% do PIB mundial.

Aqui está o trabalho de Avedon, quase com 20 anos, e absolutamente actual.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.