sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Variáveis proxy

Aqui há uns meses, um amigo meu no Facebook perguntou-me se eu estava ocupada no tabalho. Eu disse-lhe que não mais do que o normal e perguntei-lhe porquê. Ele respondeu que queria saber se a economia americana estava mesmo a aquecer, logo se a minha actividade laboral reflectia esse aquecimento; eu disse-lhe que a minha carga de trabalho é uma péssima variável proxy para saber esse fim. Eu fico ocupada quando há problemas na América do Sul, pois nessa altura tenho de andar em cima das notícias para ver se há novidades que possam afectar os mercados de soja e milho. Esta semana continua a greve dos camionistas no Brasil, que está a afectar os preços de soja--é bom para os agricultores portugueses que tenham cultivado soja, aproveitem enquanto é tempo porque isto não vai durar muito--e eu estou um bocadinho mais ocupada.

Quando Alan Greenspan escreveu a sua biografia, revelou que costumava acompanhar o mercado de roupa interior masculina como indicador da força da economia americana. A razão era que, se as pessoas adiassem comprar ceroulas*, que quase ninguém vê, logo pouco importa quando estão em mau estado, é porque estavam a poupar dinheiro. Podem ouvir este audio acerca desta variável proxy.

* Já antecipando as vossas correcções, digam lá que termo técnico preferem: truces, cuecas, slips... Aceitam-se sugestões em troca de desejos de um óptimo fim-de-semana!

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.