sexta-feira, 20 de maio de 2016

Escolas "caras" em Houston I

A 5th Ward em Houston é uma das zonas mais pobres da cidade, com uma taxa de pobreza acima de 90%. Como ilustração do tipo de discussões que se têm nos EUA na área da educação, deixo-vos uma peça de opinião publicada no Houston Chronicle, cujos autores são dois professores universitários e um membro do clero. A motivação para a peça foi a busca de um Director para este distrito escolar.

Há três aspectos da discussão que gostaria de salientar:

  1. Defende-se que uma escola numa área pobre necessita de mais recursos -- e de tipo diferente -- do que escolas em áreas mais afluentes;
  2. A necessidade de haver um envolvimento da comunidade para tentar resolver os problemas, especialmente na forma como as escolas em locais mais pobres são financiadas. O financiamento costuma estar relacionado com o comércio local e com os impostos sobre imóveis, o que é bastante limitativo, pois estas zonas têm imóveis mais baratos e o tipo de comércio presente não gera tantos impostos. Em Houston, a comida comprada na mercearia não paga impostos e uma proporção alta do rendimento das famílias que vivem nestas áreas é gasto em comida.
  3. Nas escolas em áreas problemáticas, a experiência do pessoal contratado deve ser considerada. Obviamente, quanto mais experientes, mais altos os salários a pagar. Se a escola tem poucos recursos financeiros, então apenas pode contratar pessoas com menos experiência o que pode não ser no melhor interesse dos alunos.

Um excerto do artigo em questão:

Students in hyper-poverty schools - with a poverty rate of 90 percent or higher - have very different life chances than similar students in schools with lower concentrations of poverty. Hyper-poverty schools cannot function in the same way as other schools, often struggling to recruit and retain effective teachers and administrators, and unable to offer the same range of courses and programs as other schools. They enroll many students who have not had access to high-quality early childcare, who have experienced trauma in various forms, and whose parents lack the resources needed to help them.

These schools require many more resources than other schools to empower their students to break the cycle of generational poverty through education. Currently, students in hyper-poverty schools are more likely to end up in prison than in college.

Such schools exist throughout Houston, and the dire poverty seen here is spreading even to the suburbs. But it has been persistently stubborn in the Fifth Ward. It is time that we as a community make serious efforts to work alongside school district administrators and educators to help students in hyper-poverty schools.

We can improve early childhood education and implement systems to better monitor and address school readiness and academic achievement in elementary school. We can provide more and better social services, including counselors, nurses, and mental health specialists, for our middle and high school students. We can help our principals provide a thriving learning environment.

In the nine HISD schools in the Fifth Ward, only one principal had more than five years' tenure, and most of them had fewer than three years of experience. There is no magic wand to immediately transform Fifth Ward schools, but there are specific actions we as a community can take to change the trajectories of these students.

Fonte: Houston Chronicle

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não são permitidos comentários anónimos.